Bauza com meia… Cuca sem: SP 1 a 0

Antero Greco

29 de maio de 2016 | 19h10

Numa de suas entrevistas desta semana, o técnico Cuca afirmou que o Palmeiras não precisa da figura do meia, do pensador, do cérebro do time. Ele garantiu que com um esquema ágil, com jogadores rápidos e com troca de passes envolveria qualquer defesa inimiga.

O São Paulo de Edgardo Bauza, por sua vez, tem um meia tradicional. Um jogador cerebral que, com um único passe, abre uma avenida inteirinha no sistema defensivo adversário. Bauza tem Paulo Henrique Ganso.

O Palmeiras que contratou quase uma centena de jogadores nos últimos tempos não tem. Os alviverdes são modernos.

Por isso perderam para o São Paulo no Morumbi, gol exatamente de Paulo Henrique Ganso, de cabeça.

Depois de um início impressionante em que parecia provar a tese de Cuca, o Palmeiras arrefeceu, cedeu campo a um contra-ataque mortal e tomou o gol. Um a zero para o tricolor, placar definitivo.

Mas o São Paulo mereceu mais.

Muito mais.

Só não goleou porque Fernando Prass estava numa tarde inspirada. E como defendeu o goleiro palmeirense!

Seus companheiros, ao contrário, não tinham um pingo de inspiração e no segundo tempo inteiro não passaram do meio de

campo, a não ser no lance que Denis soltou a bola e dividiu com Alecsandro. Momento de tensão, em que o goleiro sãopaulino quase se machucou com gravidade.

De resto foi São Paulo e nada mais.

O time de Edgardo Bauza vai ganhando confiança e já não dá prá duvidar que pode chegar à decisão da Taça Libertadores.

Quanto ao Palmeiras, está cada vez mais difícil acreditar na previsão de Cuca. O técnico tinha afirmado que seu time brigaria pelo título brasileiro. Será?

(Com participação de Roberto Salim.)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.