Bem-vindo Liedson, a vaga no Corinthians é sua

Antero Greco

10 de fevereiro de 2011 | 01h02

Ok, foi apenas a (re)estreia, mas Liedson acenou com a possibilidade de acabar com um tormento para a torcida do Corinthians: a falta de um goleador. Com a má fase de Ronaldo, com a limitação de Edno e com a inexperiência de William, o veterano atacante (33 anos festejados em dezembro) voltou a cena com a obrigação de não decepcionar no Corinthians. E não negou fogo, pois marcou os dois últimos gols, nos 4 a 0 sobre o Ituano, nesta quarta-feira. Alguém duvida que vai virar titular?

Não foi apenas pelos gols, ambos no segundo tempo, que Liedson se destacou. Já na etapa inicial, chamou a atenção pela boa movimentação, pelos deslocamentos, pelos passes e até por chance para marcar. Parecia velho de casa, tal a desenvoltura. Esteve muito à vontade e passou a descontração para o torcedor, que o aplaudiu. Também não sentiu falta de ritmo – e o jogo ajudou. O Ituano foi presa fácil e adversário ideal para marcar o retorno.

O Corinthians fez sua parte ao afastar qualquer veleidade do time de Itu, com o gol de Ramirez, aos 2 minutos, depois de jogada de Alessandro na linha de fundo. E encolheu-se todo com o gol de Chicão aos 24. O alvinegro mandou até o fim, sem necessidade de acelerar. No segundo tempo, Tite ainda colocou o baixinho e lépido Morais no lugar do Ramirez. Assim como havia ocorrido no domingo, Morais tornou o meio-campo e o ataque mais ágeis e fez os passes para os dois gols de Liedson (aos 31 e aos 47). Aos poucos, mostra-se boa alternativa.

Tite deixou fora de novo Roberto Carlos – desta vez optou por Marcelo Oliveira na esquerda. Também continuam de molho Dentinho, Ronaldo e Bruno César. O Corinthians se reergue devagar, está no bloco principal, pode encostar na liderança quando igualar o número de jogos e tem o torneio estadual como a única saída para esquecer o trauma da Libertadores. Que seja esperto e aproveite a chance.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.