Bloco reserva do Corinthians entra na pista e dá pro gasto

Antero Greco

18 de fevereiro de 2012 | 18h24

Tite resolveu dar descanso para os titulares, depois do empate na Venezuela, na estreia na Libertadores, e não se arrependeu. O Bloco B, ou time reserva, do Corinthians foi para a passarela do Anacleto Campanella, na tarde deste sábado de carnaval, deu conta do recado, fez 1 a 0 no São Caetano, e voltou a encostar no Palmeiras, agora ambos com 20 pontos e na ponta do Campeonato Paulista.

Os torcedores que foram ao estádio, no ABC, puderam ver em ação vários jogadores que entram com regularidade – como William, autor do gol da vitória – e diversos outros que passam mais tempo no banco, à espera de uma boquinha que não vem. Foi uma espécie de volta no tempo, quando a turma ia para campo acompanhar os jogos de Aspirantes que precediam o duelo da equipe principal.

O Corinthians mandou no jogo, do começo ao fim. Poucos os momentos em que o Azulão incomodou, ao contrário do que normalmente ocorre contra um de seus adversários preferidos. A curiosidade maior, claro, era observar Adriano em ação, depois do confinamento no Centro de Treinamento do clube e do tratamento intensivo para perda de peso.

O centroavante está menos volumoso, porém com pouca noção de espaço. Correu, abriu espaço, deu passes, arriscou chutes. O mínimo que se espera de qualquer jogador, mas bem pouco para o nome que carrega. Não chamou a atenção, só não foi discreto porque com o tamanho que tem não dá para passar sem ser notado. Aguentou até os 30 da etapa final – talvez seu recorde desde que chegou ao clube.

Acima do peso, também, está Douglas, que deveria pegar uma folguinha, depois dos dias de treino, e teve de ser escalado por falta de alternativas para Tite. Ele está também com formas arredondadas, lembrou até Neto na fase final de carreira. Assim como o antigo 10 alvinegro, mostrou a categoria no toque de bola que o Fiel estava acostumado desde a passagem anterior e construiu a jogada do gol, na hora em que estava para sair. Ficou mais alguns minutos em campo e depois, esbaforido, deu lugar para Vítor Júnior.

O Corinthians mostrou que Tite tem opções para as duas competições. E viu comprovada a previsão que todo mundo fazia: passa para a próxima fase com um pé nas costas. E até com dois jogadores mais cheinhos em ação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.