CBF sob nova direção. Agora vai

Antero Greco

16 de abril de 2015 | 15h35

Caro amigo, saiba que desde hoje, quinta-feira, 16 de abril de 2015, a Confederação Brasileira de Futebol está sob novo comando. Sim senhor, administração novinha em folha, tinindo. Sai José Maria Marin e entra Marco Polo Del Nero no posto de presidente da entidade. A eleição foi há um ano, mas o processo de transição demorou. Sabe como são essas coisas, né?

Pois muito bem. Del Nero, que passou uma década na pujante Federação Paulista de Futebol, foi o ungido pelos cartolas nacionais para guiar os destinos da bola por aqui por três anos. Depois, claro, se o trabalho for bacana, ele consegue reeleição e reeleição e reeleição…

Del Nero chegou ao poder na FPF porque era aliado do falecido José Eduardo Farah, que o fez seu sucessor. Agora, atinge o ápice no Brasil graças à fidelidade a Ricardo Teixeira, que se mandou para Miami três anos atrás e o convocou para tocar o barco junto com Marin. A dupla andou pra cima e pra baixo, sem se desgrudar um minuto, e cuidou da CBF como pediu o ex-todo-poderoso.

Essas ligações importantes, com personagens de primeira linha, animam Del Nero a dar um banho de modernidade na CBF. Ele promete entidade vibrante, preocupada com a base do futebol, com a saúde financeira dos clubes. Para tanto, pretende contestar a Medida Provisória sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal, aquela que aperta o cerco contra gastança desenfreada e endividamento das equipes. A bancada da bola no Congresso odeia essa interferência.

O formato do Campeonato Brasileiro também poderá ser revisto, sempre para melhor. E a seleção – ou melhor, seleções – receberão todo apoio. Enfim, serão anos de atividade intensa, você não perde por esperar.

Ah, por favor, um detalhe: não quer mais saber dessa história de lembrar os 7 a 1 para a Alemanha. Isso é passado.

Essa é impossível, caro presidente da CBF.

Tudo o que sabemos sobre:

CBFDel Nero