Copa do Brasil, opção final para o Flu

Antero Greco

24 de outubro de 2015 | 22h10

O Fluminense tinha uma leve, ligeira, tênue esperança de reagir e ainda brigar pelo quarto lugar no Brasileiro nas rodadas que restavam para o encerramento da temporada. Depois da derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR, em casa, essa intenção virou fumaça. Ao estagnar em 40 pontos, não vai pra lugar algum na competição. A saída para salvar o ano é a Copa do Brasil.

E é bom que Eduardo Baptista e seus rapazes façam valer a vantagem de 2 a 1 aberta sobre o Palmeiras no meio da semana. A tarefa no Allianz Parque não é tranquila, tampouco um desafio de outro mundo. O adversário, afinal, também não anda muito confiável e não parece fora de propósito garantir ao menos empate e carimbar presença na decisão.

O jogo com o Furacão foi decepcionante ao revelar que a gangorra tricolor não tem fim. O time empenhou-se, apertou, deu trabalho ao goleiro Weverton. Não se trata de falar em displicência. A questão é outra, e mais preocupante: o Flu não mantém sequência aceitável. No segundo turno, conseguiu 7 pontos em 13 partidas! Desempenho sofrível.

Eduardo mandou a campo praticamente força máxima, como forma de jogar cartada definitiva no Brasileiro. A opção não adiantou e ainda desgastou vários jogadores para o clássico da próxima quarta-feira.

Para deixar a situação mais constrangedora, o gol da vitória do Atlético foi marcado por Walter. Quer dizer que a maldição do ex voltou a funcionar… O Furacão ultrapassou o Flu, foi a 42 pontos, está em 11.º e tem um fio de esperança.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.