Corinthians agitado, mas a vitória é do Flu

Antero Greco

16 de junho de 2016 | 22h33

O Corinthians teve momentos agitados na noite desta quinta-feira. Só lhe faltou futebol suficiente para evitar derrota (1 a 0) para o Fluminense, no clássico no Mané Garrincha.

Primeiro, houve homenagem para Tite, que debandou para a seleção. Depois, a volta de Elias, que ficou meia hora em campo e saiu machucado. Teve também Balbuena no lugar de Felipe, que foi embora para o Porto. Yago, aquele do caso de doping , atuou na zaga e foi expulso depois de cometer pênalti. Teve ainda a contusão de Walter, que abriu espaço para Cássio no gol. O ex-titular pegou pênalti chutado por Cícero, mas levou o gol no rebote.

Muita coisa ao mesmo tempo.

O Corinthians até que não foi mal na primeira apresentação sem Tite. Na etapa inicial, pelo menos, tratou de manter a posse de bola, propôs o jogo, incomodou Cavalieri. Enfim, jogou mais do que o Flu, apesar de recorrer em erro que se tornou frequente: finalizações sem muito perigo.

No segundo, o Flu equilibrou, embora sem forçar o ritmo. Saiu do aperto, empurrou um pouco o Corinthians para o próprio campo e trabalhou o suficiente para fazer um gol. Levir Culpi começou com Marcos Júnior e Richarlison na frente, e terminou com Maranhão e Magno Alves. Ele continua em busca do substituto ideal para Fred.

O Corinthians busca treinador e também um nome certo para o ataque. Luciano ficou o tempo todo, mas com participação discreta. Nada muito diferente de quando atua André. Ou de quando entrava Romero. É uma interrogação a ser desfeita sob nova direção.

 

Tendências: