Corinthians, bom teste para a Libertadores

Antero Greco

01 de fevereiro de 2015 | 20h45

O jogo com o Marília valia três pontos no Paulistão. Ok, muito bem, e o Corinthians os conquistou com os 3 a 0. Mas, mais do que isso, a apresentação no Itaquerão era um ensaio para os duelos com o Once Caldas, pela fase preliminar da Libertadores. E também em tal aspecto a equipe correspondeu. O público não saiu decepcionado.

O Corinthians jogou conforme o figurino na estreia no Estadual. Não teve desempenho brilhante, ao mesmo tempo em que esteve longe de decepcionar. Comportou-se dentro dos padrões para o momento. Como todo mundo, está em reconstrução e em início de temporada.

Razoável, portanto, que alternasse o ritmo na tarde deste domingo. Em algumas etapas do jogo, acelerou; em outras, botou o pé no frio, segurou, trocou passes, deixou o tempo correr. O importante era fazer ajustes, e Tite provavelmente tirou boas conclusões do teste.

Por exemplo: do meio para a frente, a equipe mostrou mobilidade, trocou passes, arriscou chutes de longe. Elias, Renato Augusto, Jadson (escalado de última hora, com a saída de Lodeiro), Emerson, Guerrero se deslocaram com inteligência. Tanto que os gols surgiram naturalmente.

Faltou, no primeiro tempo, mais cobertura ao sistema defensivo. O Marília desceu com alguma facilidade pelos lados, e o miolo da zaga também ficou exposto. Na etapa final, Tite corrigiu e o Marília não deu um susto sequer.

De qualquer forma, acertada a opção do treinador de colocar força máxima em campo. Só assim para analisar melhor o time, dar-lhe ritmo e esquentar o clima para os jogos com o Once Caldas, decisivos para o semestre e até para a temporada alvinegra.

 

 

 

Tendências: