Corinthians cumpre rotina e se ajeita

Antero Greco

19 de março de 2016 | 20h49

Não dá pra afirmar ainda que o Corinthians tenha um time titular absoluto e irretocável. Com tantas mudanças ocorridas desde o final do ano passado, há espaço para vários jogadores se firmarem. Tite tem repetido isso, para estimular a corrida por vagas.

Em todo caso, existe um esboço da formação ideal para o momento. É aquela que tem atuado nos jogos da Libertadores. Com base em tal referência, não é errado dizer que a equipe que enfrentou o Linense, na tarde deste sábado, foi a reserva.

O treinador mandou a campo um grupo que tem atuado pouco, ou que entra em situações especiais ou mesmo durante os jogos. Apenas Cássio, Rodriguinho e André – estes dois não enfrentaram o Cerro na quarta-feira – podem ser vistos hoje como titulares. Mas o mistão foi suficientemente forte para passear diante do rival de Lins e sapecou 4 a 0 sem muito suor. Dois gols em cada tempo, para distribuir melhor a alegria do torcedor que foi ao estádio de Itaquera.

A força alvinegra se mostrou com Romero aos 7 minutos e dobrou com Balbuena aos 14. O zagueiro fez o gol e bateu continência para a plateia, para se mostrar de prontidão, quando necessário. Esses gols colocaram o Linense nas cordas. Já os gols de Edilson aos 11 e Romero aos 25 da etapa final consolidaram o nocaute.

Jogo para cumprir tabela, ritual necessário em um Estadual de tantas partidas supérfluas. No máximo, serviu para mostrar a Tite que o elenco dizimado em janeiro e fevereiro se recompõe com tranquilidade. Já atingiu estágio de confiança para passar por adversários débeis. O próximo patamar é o de afrontar obstáculos poderosos com a eficiência do ano passado.

Esse nível ainda não chegou. Mas, pelo andar do metrô, não parece muito distante. Os testes verdadeiros surgirão na fase final do Paulistão e nos mata-matas da Libertadores.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.