Corinthians e outra vitória com autoridade

Antero Greco

30 Agosto 2015 | 19h01

Está difícil, muito difícil, parar o Corinthians na corrida pelo título Brasileiro. O líder mantém o fôlego, não tira o pé e continua a superar desafios. O mais recente ocorreu na tarde deste domingo, com os 3 a 1 diante da Chapecoense, fora de casa. O adversário ainda tem um dos melhores retrospectos como mandante, com sete vitórias, dois empates e agora dois tropeços.

A tarefa alvinegra foi liquidada em 15 minutos de bola a rolar. Em duas descidas rápidas, Elias e Vagner Love fizeram a vantagem de 2 a 0. Dali em diante, foi questão de deixar o tempo passar, mesmo com os habituais sustos – que não faltaram, como no gol de Bruno Rangel pouco antes do intervalo e algumas conclusões fortes na segunda etapa. Pressão dissolvida com o gol de Jadson, de pênalti.

O que se viu foi um Corinthians diferente daquele da Copa do Brasil. O time indolente do meio da semana virou combativo e atento na Arena Condá. O meio-campo voltou a ser pegador, com o retorno de Ralf, hoje apenas opção de banco. Renato Augusto, Jadson, Elias completaram o serviço, com Malcom e Love sendo servidos com regularidade. A defesa ficou protegida.

Enfim, o esquema habitual, sem invenção e requintadamente simples de Tite, funcionou mais uma vez. A solidariedade se impôs, como tem sido o segredo nos momentos de grandes resultados. Claro que muita coisa pode mudar, com 51 pontos por disputar. Mas, na toada que emprega, a cada rodada o Corinthians consolida a condição de principal candidato ao título.

E a fazer-lhe sombra só tem o Atlético-MG. Ao menos por enquanto.