Corinthians encorpa e põe mão na vaga

Antero Greco

24 de março de 2016 | 01h17

O Corinthians contraria todas as previsões pessimistas. Depois da saída de meia dúzia de titulares, era dada como certo que entraria em parafuso e demoraria a se reerguer. Pois, ao menos no início da temporada, a hecatombe não ocorreu. Ao contrário, o time até vai além da expectativa, no Paulista e na Libertadores.

No Estadual, mais uma prova de que está acima da média, mesmo em formação, veio na noite desta quarta-feira, com os 3 a 0 sobre o São Bernardo, no campo do adversário. Com resultado que o deixa com a maior pontuação na Série A e com vaga na mão para a próxima etapa.

Ok, o time do ABC teve um jogador expulso nos minutos finais do primeiro tempo (Tatá, e acertadamente). Isso pesa. Mas independentemente da vantagem numérica de jogadores, o campeão brasileiro soube impor-se como convém a quem não está no torneio como coadjuvante e sim como ator principal.

Tite colocou em campo a formação que, no momento, pode ser vista como a mais forte, a titular. Mesmo que reafirme com insistência de que há vagas abertas, o treinador já tem ideia clara do grupo principal, assim como as variações para cada partida. Pois esse time teve dificuldade para chegar ao gol, na primeira etapa, embora tivesse finalizado muito mais do que o São Bernardo.

O nó se desfez no início do segundo tempo, com dois gols de Rodriguinho – o segundo uma pancada de fora da área, em seu último lance, pois saiu em seguida. Lucca completou o placar. O São Bernardo, acuado, tentou apenas evitar surra maior e em apenas uma ocasião testou os reflexos de Cássio. E estes estavam em ordem.

O Corinthians aos poucos ajusta-se na defesa, com Felipe e Yago a dividirem o miolo da zaga. No meio, Bruno Henrique, Giovanni Augusto, Rodriguinho, Lucca e Guilherme aumentam o entendimento. (E ainda há o titular Elias, que se recupera de contusão.) Na frente, André se firma como a opção mais viável.

Não é ainda uma superequipe, e as provas mais complicadas virão na fase de mata-mata do Paulista e também da Libertadores. Mas, muito antes do que se supunha, ganha contornos confiáveis.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.