Corinthians brilhou. E o São Paulo sumiu

Antero Greco

19 de fevereiro de 2015 | 00h32

Meu amigo, me ajude, por favor: disseram que dois paulistas estreariam na Libertadores na noite desta quarta-feira. Li que haveria um clássico memorável no Itaquerão, inédito na competição e coisa e tal. Mas, ao final das contas, só um jogou: o Corinthians. Já o São Paulo se limitou a vestir o uniforme, entrou em campo e não viu a bola. Resultado: 2 a 0 para quem levou o desafio a sério.

O Corinthians mandou na partida, do começo ao fim. O São Paulo assistiu ao adversário fazer evoluções no gramado, com um ou outro lampejo, esporádico, que não levaram preocupação para Cássio. O goleiro alvinegro só faltou juntar-se aos torcedores para  curtir o duelo e matar o tédio. Tédio que vinha também do fato de o São Paulo ter posse de bola, porém inútil, sem sentido, sem objetividade.

Muricy tentou surpreender, ao repor Michel Bastos na lateral e colocar Maicon no meio-campo, para reforçar a marcação com Denilson e Souza. Na teoria, Ganso estaria mais solto para armar e encostar em Alan Kardec e Luis Fabiano. Na prática, não ocorreu nada disso. O meio-campo tricolor foi engolido pelo Corinthians, que não teve sufoco algum para se impor.

O desequilíbrio ficou evidente no primeiro gol, de Elias, aos 10 minutos, e se manteve ao longo de todo o primeiro tempo. Na segunda etapa, o Corinthians diminuiu o ritmo e o São Paulo também. Epa, se a turma de Muricy tinha sido devagar, conseguiu ser mais lenta ainda. Nem as mexidas deram certo: Thiago Mendes no lugar de Maicon e Reinaldo na vaga de Alan Kardec. Nada!

O Corinthians deu a estocada decisiva com o segundo gol, marcado por Jadson, num arremate que ainda teve falha de Rogério Ceni. O lance teve participação fundamental de Emerson e do árbitro. Do corintiano por roubar a bola de Bruno no meio-campo e arrancar com tudo para o ataque. E do juiz por não marcar a falta clara do Sheik.

O Corinthians de Tite comportou-se como quem sabe o que quer na Libertadores. O São Paulo atuou como se tivesse caído por acaso na competição da qual é tricampeão. Tem muito pela frente para ambos, mas a largada pode condicionar o rumo que seguirão e o astral de que se verão cercados.

Tendências: