Corinthians não liga nem pro Furacão

Antero Greco

18 de outubro de 2015 | 18h39

O Corinthians anda com aoutoestima tão no alto que ignora até a fama dos adversários que visita. Foi o que fez, na tarde deste domingo, ao bater o Atlético-PR por 4 a 1, na Arena da Baixada. O líder do Brasileiro liquidou o jogo no primeiro tempo, ao abrir vantagem por 3 a 0, e controlou o Furacão, encaixotou o vento, como diria aquela personagem da política…

Com a força máxima de volta, a equipe de Tite mandou na partida do início ao fim. Em nenhum momento, se sentiu ameaçada pelo Atlético. Ao contrário, para evitar qualquer possibilidade de susto, já se impôs de cara, com Renato Augusto aos 17 minutos.

Dessa forma, desmontou esquema rubro-negro e pôde fazer o que gosta: tocar a bola, distribuir-se bem em campo e atacar. Com esse roteiro repetido à perfeição, dobrou o placar, com Vágner Love, aos 30 minutos. Para botar o Atlético de vez nas cordas, Renato Augusto marcou o terceiro aos 47.

Pronto. Desafio liquidado e segundo tempo apenas para cumprir formalidade. O Corinthians dosou energia, permitiu o crescimento do Furacão, levou um gol (Bruno Mota aos 11) e não se abalou. Também para esfriar eventual entusiasmo do lado de lá, fechou a conta aos 17, com Vágner Love, de novo, e impedido.

Por prudência e respeito aos demais, é bom lembrar que faltam sete rodadas (e este comentário é postado enquanto jogam Sport x Atlético-MG). Mas, pelo andar do metrô (carruagem é antigo demais), o Corinthians já pode encomendar a festa do título. Só escapa a taça se houver uma sequência incrível de trapalhadas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.