Corinthians oscila, Náutico aproveita e vê descenso longe

Antero Greco

06 de outubro de 2012 | 19h54

O Corinthians tem momentos de distração no Brasileiro, como se estivesse com a cabeça voltada para o Mundial de Clubes. Sorte de adversários que conseguem aproveitar-se desses vacilos. Como foi o caso do Náutico, na tarde de sábado, no Estádio dos Aflitos. Não tomou conhecimento do rival campeão da América, ganhou por 2 a 1, foi a 37 pontos e enxota pra longe a ameaça de rebaixamento. O Corinthians se manteve com 39.

O jogo valeu pelo empenho do Náutico, fortíssimo em casa. Não é por acaso que obteve a 10ª vitória como mandante das 11 que tem até agora no campeonato. Teve velocidade, não faltou atrevimento, sobrou garra. Enfim, comportou-se como equipe que não está disposta a abrir a guarda para o azar. São dez pontos de vantagem sobre o Sport.

A dedicação do Náutico foi premiada com belo gol de Kieza, aos 30 minutos. O moço é um tormento para as defesas e já tem 10 na Série A deste ano. É o artilheiro do time. A alegria só não foi completa na primeira parte do duelo porque Guerrero empatou aos 46.

Mas nada que tenha abalado a confiança do Náutico, que repetiu a postura altiva na fase final. As chances, mesmo que em menor quantidade, continuaram a aparecer. Na melhor delas, Ralf salvou em cima da linha aos 26 minutos. O volante alvinegro passou de herói a vilão 13 minutos mais tarde, ao desviar para o próprio gol e assim garantir a vitória pernambucana.

O Náutico precisa melhorar um pouco o retrospecto como visitante para garantir-se de vez na elite. Se bem que, na toada como anfitrião, também não está longe da salvação. E o Corinthians não pode alternar tanto, daqui em diante. É hora de acelerar e embalar para o torneio de dezembro no Japão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.