Corinthians reserva resolve mais que Palmeiras titular

Antero Greco

24 de junho de 2012 | 18h16

Corinthians e Palmeiras vão bem em duas frentes, exceto no Campeonato Brasileiro. Se no torneio nacional, pontuaram pouco até agora, compensam com vaga nas finais da Libertadores e da Copa do Brasil, respectivamente. Por isso, o jogo que fizeram no Pacaembu, na tarde deste domingo, era importante para estimulá-los na preparação por títulos.

No entanto, apenas o Corinthians soube aproveitar a chance, venceu por 2 a 1 de virada e saiu fortalecido para a aventura de meio de semana contra o Boca Juniors, em Buenos Aires. E o fez com time reserva, enquanto o velho rival entrou praticamente com força máxima. O resultado tirou o campeão brasileiro da rabeira e lá manteve o Palmeiras.

Palmeiras que deu a impressão de que não perderia a oportunidade de quebrar o jejum na Série A (três derrotas e dois empates), ao ficar em vantagem com menos de 5 minutos, com o gol marcado por Mazinho, seu novo talismã. (Que também ficou só no gol…) E emperrou nisso. Dali em diante, foi o Corinthians quem tomou iniciativa, foi à frente, pressionou, assustou Bruno com uma bola na trave (Liedson) até chegar ao empate com Romarinho, de letra.

O resultado parcial encheu os alvinegros de confiança, mesmo se nem todos estivessem em boa sintonia, casos sobretudo de Douglas e William. O Palmeiras voltou modificado do intervalo, com Maikon Leite no lugar de Leandro Amaro e com Valdivia em substituição a Daniel Carvalho. (Aliás, Daniel Carvalho e Douglas têm sido nulos em suas equipes…)

Não adiantaram muito as mexidas palestrinas. O Palmeiras seguiu confuso e sem imaginação, com Valdivia apagado. O Corinthians manteve o controle do jogo, virou com outro bonito gol de Romarinho e teve chances de fazer o terceiro. Não aumentou a vantagem por duas boas defesas de Bruno e porque Liedson perdeu fôlego, à medida que o segundo tempo avançava.

O Palmeiras foi à frente, na base da boa vontade, pelo menos para sair com o empate. Que não veio, por irretocável incompetência.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: