Da Inter para o Inter, o reinício para Forlán

Antero Greco

28 de julho de 2012 | 12h19

Diego Forlán teve o momento profissional mais brilhante ao ser eleito melhor da Copa da África. Isso foi só há dois anos – de lá para cá a trajetória dele deu uma guinada e tanto. Saiu da Espanha para defender a Internazionale, mas não vingou em Milão. Agora, reinicia no Internacional e hoje estreia, no clássico com o Vasco, no Beira-Rio, a partir das 18h30.

Forlán terá prova de fogo na primeira vez em que vestirá a camisa colorada. O time reage no Brasileiro, embora ainda não o suficiente para encostar na ponta: tem 22 pontos contra 31 do Atlético-MG. E, de quebra, pega o vice-líder Vasco (29). Ou seja: se quiser persistir no caminho do topo, o Inter necessariamente precisa ganhar.  Empate não serve muito e derrota complica.

Esse panorama aumenta a responsabilidade de Forlán, que não é nenhum garoto, já bateu nos 33 anos e entra na fase final da carreira. Ele sabe que o período vivido na Itália o deixou em segundo plano, e a chance de ressurgir está no Brasil. A ajudá-lo está o fato de aparecer num momento de ascensão de sua nova equipe.

Forlán virou uma das atrações do Brasileiro, assim como Clarence Seedorf chama a atenção desde que chegou ao Botafogo. O torcedor do Inter espera que o uruguaio traga melhor sorte ao time do que o holandês. O Botafogo perdeu duas vezes seguida com o astro em campo.

Um tropeço é risco a considerar – porque o Inter recebe um Vasco embalado e até o momento o mais forte perseguidor do Galo. O Vasco acumula até o momento 9 vitórias, dois empates e uma derrota. O Inter ganhou seis, empatou quatro, perdeu duas. Equilíbrio, portanto.

O sábado de Olimpíada já em ritmo intenso, com medalhas para o Brasil no judô, esse clássico serve como excelente programa para quem curte esporte.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.