Danilo Fernandes, o herói de bom jogo

Antero Greco

25 de julho de 2015 | 22h05

Grêmio e Sport fizeram jogo muito interessante, no início da noite deste sábado, em Porto Alegre. O empate por 1 a 1 pode não ter sido o resultado ideal para nenhum dos dois, embora os mantenha na parte de cima da classificação. O time pernambucano, porém, pode dar prêmio extra a Danilo Fernandes. O goleiro foi a salvação da lavoura, sobretudo no final, quando garantiu o ponto ganho com duas defesas impecáveis.

A partida seguiu roteiro que se imaginava: o Grêmio largou com força, tratou de colocar pressão e impor-se em casa. Era o caminho lógico, no confronto com um adversário direto na briga pelo G4. Tanto que mandou uma bola na trave, com Luan, e rondou a área do Sport com frequência. Tanto fez que ficou em vantagem em cima da hora, com gol de Pedro Rocha, em chute que pegou Danilo Fernandes desprevenido.

O panorama mudou, na segunda parte, porque Eduardo Batista empurrou a equipe dele à frente, colocou Élber no lugar de Rodrigo Mancha, adiantou a marcação. Enfim, abriu o Sport, se expôs. A tática atrevida deu certo, com o gol de empate marcado por Diego Souza, no lance estranho, em que completou de ombro, numa saída estouvada de Tiago, que substituiu o suspenso Marcelo Grohe.

O jogo tomou ritmo forte, o Sport ensaiou até a virada, mas daí prevaleceu o reflexo de Danilo Fernandes, ao espalmar cabeçada à queima-roupa de Brian Rodriguez e chute de Luan já nos acréscimos.

O resultado não emperra a vida de nenhum dos dois, mesmo que não tenha permitido que voltassem a deslanchar. Além disso, manteve uma situação curiosa: o Sport não ganha fora de casa, mas perdeu apenas uma vez como visitante. Ou seja, arranca empates a valer e trata de se valer como mandante. 

Tendências: