De empate em empate, Sport empaca

Antero Greco

16 de setembro de 2015 | 22h36

O Sport foi uma das agradáveis surpresas do Brasileiro em boa parte do primeiro turno. Com futebol limpo, com alguns jogadores rodados e com um técnico sereno, obteve resultados expressivos. Aos poucos, porém, perdeu fôlego e passou a abusar dos empates. E é de lei: em campeonato por pontos corridos, uma sequência grande de igualdades tende a deixar qualquer equipe empacada na classificação.

E é o que acontece com o rubro-negro. O time de Eduardo Baptista virou o Rei dos Empates, com 13 no total – o mais recente, no início da noite desta quarta-feira, com o 1 a 1 com o Joinville, em Santa Catarina. Ainda tem 8 vitórias e apenas 5 derrotas. No total, são 37 pontos e alguma esperança de ficar entre os melhores. No papel, é possível; na prática, difícil.

O Sport se safou de derrota para o Joinville, que esteve melhor, sobretudo no primeiro tempo, quando obteve a vantagem com gol de Edigar Junio aos 38 minutos. Ainda insistiu, levou preocupação à zaga rubro-negra,mandou bola na trave (Marcelinho Paraíba) e deu a impressão de que poderia vencer e aliviar situação na parte de baixo da tabela.

Deu certo até os 45 minutos do segundo tempo, em que veio o empate, em chute de André. Vá lá que o Sport havia melhorado, mas ficou aquém do que se esperava. Pode comemorar outro empate, porém não vence como visitante, e isso influi na posição que ocupa. Corre o risco, ao final da competição, de restar com a sensação de que choveu no molhado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.