Deivid: um lance que deu dó

Antero Greco

23 de fevereiro de 2012 | 16h14

Você vai dizer que o Deivid é craque? Não, né? Ele está na média dos jogadores que andam por aí. Como centroavante, já fez muitos gols e errou também. Só que nunca deve ter imaginado que um golzinho perdido pudesse lhe provocar tanta dor de cabeça. Pois foi o que aconteceu por causa da falha antológica na derrota do Flamengo para o Vasco, na noite de quarta-feira.

O lance já rodou o mundo, está na boca do povo e pode ser acessado na internet, no celular, no Youtube; enfim, em toda a parafernália eletrônica que expõe nossa vida para qualquer um. A bola veio mansa pra ele mandar para o gol do Fernando Prass, ali, a meio metro da linha fatal. Era só encostar o pé e mais nada. Foi o que fez. E a danada bateu na trave.

O Deivid, os torcedores do Flamengo, do Vasco, você, eu. Está todo mundo até agora tentando avaliar o que aconteceu. Fiquei com a imressão de que teve até jogador adversário com vontade de dar um abraço de solidariedade no Deivid. Foi chato pra chuchu! Juro que deu dó dele.  Não desejo isso pro pior inimigo.

 O mais bacana é que ele não ficou posudo na hora em que lhe foram perguntar o que tinha acontecido. Todo sem jeito, admitiu o erro.  Fazer o quê? O gol fez falta. Nem por isso, ele deve ser visto como o vilão da história, o Judas ou coisa do gênero. Perdeu, pronto!

Agora, mais do que nunca, precisa recorrer ao lugar-comum: erguer a cabeça e bola pra frente. Dar um bico no constrangimento e, se puder, rir de si próprio. É a melhor forma de esvaziar o prazer dos cínicos de plantão.

Tudo o que sabemos sobre:

DeividFlamengoVasco

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.