Denis pegou muito, mas não conseguiu parar o Grêmio

Antero Greco

24 de julho de 2016 | 19h46

O goleiro Denis fez o possível. E um pouquinho do impossível também na Arena do Grêmio. Foi um verdadeiro bombardeio sobre a defesa do São Paulo: chutes de todos os lugares, principalmente de fora da área. No fim, vitória justíssima dos gaúchos por 1 a 0 – agora o Grêmio tem 30 pontos, como o Corinthians, e está a apenas dois pontos do líder Palmeiras.

O resultado poderia ser mais elástico, porque o Grêmio jogou sozinho em seu campo. O adversário praticamente não existiu. O time de Edgardo Bauza foi um arremedo, sem criatividade e sem o menor poder ofensivo. O meio campo com Thiago Mendes, Wesley, Cueva e Michel Bastos não incomodou os gremistas; Centuriòn e Gilberto não deram trabalho a Pedro Geromel e companhia.

A grande verdade é que o São Paulo sem Calleri e Paulo Henrique Ganso virou presa fácil para Grêmio, de Roger Machado. Ficou claro que o técnico gaúcho colocou o time para bater a gol de qualquer distância. Municiados por Douglas, os atacantes Negueba e Miller Bolaños infernizaram a vida de Denis.

A cena se repetiu exaustivamente, até que aos 7 minutos do segundo tempo Maicon se livrou da marcação e bateu cruzado. Mais uma vez Denis se esticou e fez uma defesa dificílima, mas a defesa tricolor não chegou para apanhar o rebote e o meia Douglas apareceu para fazer o gol da vitória gremista.

Foi o quarto gol de Douglas, responsável por ditar o ritmo de sua equipe. As coisas ficaram ainda mais fáceis quando o chileno Mena foi expulso, após receber o segundo cartão amarelo. Novas chances surgiram e outros gols não saíram porque o goleiro são-paulino esteve atento e quando foi batido, o lateral Bruno apareceu para salvar, já nos descontos.

O que ficou evidenciado neste jogo de Porto Alegre é que o Grêmio está na luta pelo título e o São Paulo na briga para não ser apenas figurante da competição.

Tendências: