Doping e discrição: a resposta da ABCD

Antero Greco

13 de março de 2016 | 14h30

O blog traz a resposta de Marco Aurélio Klein, dirigente da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, ao post publicado aqui, neste domingo, 13/3/2016, sob o título”Combate ao doping e discrição.” O espaço estará sempre aberto para debates, com a certeza de que o repúdio às substâncias ilícitas no Esporte deveria ser sentimento de todos.

No dia 7 de fevereiro coloquei na minha página do Face post do blog do Eduardo Ohata sobre o caso Sueli. Assim, como coloco outras publicações sobre o tema, inclusive uma crônica crítica do Roberto Salim.

No texto com a notícia sobre o controle na São Silvestre, Ohata faz menção a uma fala minha sobre intensificação dos testes com análise de EPO, tipo de dopagem dos mais danosos à saúde. Não era menção específica ao caso mencionado, mas um alerta que faço sempre.

Quando da publicação do Eduardo Ohata a atleta já fora notificada oficialmente e por escrito respondera abrir mão da abertura da amostra B. Poucos dias depois saberíamos que ela testara positivo (EPO) outra vez numa outra prova apenas dez dias depois da São Silvestre (quando também o filho dela testou positivo para a mesma substância).

Sobre o caso mencionado, a ABCD não falou nem em on nem em off até que a atleta que fora notificada oficialmente respondeu pedindo a abertura da amostra B. Então, confirmamos o caso, a substância e o pedido da atleta para a abertura da amostra B, sem fazer nenhum comentário adicional.

Sempre que há oportunidade alertamos para o aumento dos testes fora-de-competição (o que era raro no país e é, cada vez mais, a tendência das principais organizações nacionais antidopagem e de muitas das federações internacionais). Também temos comentado da ampliação das análises laboratoriais feitas no Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem, LBCD.

Não cometemos nenhuma impropriedade.

O cronista Roberto Salim, ou você e seus leitores são muito bem vindos para visitar a ABCD ou para falar conosco, e comigo diretamente (klein@abcd.gov.br) para podermos mostrar o que estamos fazendo e como estamos fazendo, bem como ouvir sugestões e idéias.

No site da ABCD (www.abcd.gov.br) procuramos sempre manter informações atualizadas e orientação para atletas e seus familiares e equipes técnicas.

Aproveito cada oportunidade de comunicação para alertar atletas para não tomar nada, não importa quem recomende ou ofereça, sem ter certeza de que não tem substância proibida. Uma boa maneira de ter esta certeza é usando a ferramenta Consulte a Lista, disponível no site: basta colocar o nome comercial de qualquer medicamento regularmente vendido no país ou o princípio ativo para saber se ele tem alguma substância que conste da Lista de Substâncias e Métodos Proibidos da Agência Mundial Antidopagem – WADA-AM.

Tudo o que sabemos sobre:

ABCDDoping no EsporteRio-16

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.