E agora, Vasco?

Antero Greco

20 Novembro 2015 | 02h43

Ganhar do Corinthians era necessário, imprescindível, fundamental para manter o sonho da salvação. O Vasco esteve perto da proeza, ficou em vantagem, sofreu o empate e desmoronou. Tem 34 pontos, amarga a penúltima colocação e, a três rodadas do encerramento, sofre com a ameaça de rebaixamento pela terceira vez na história.

A campanha de recuperação é indesmentível, como mostram os números e a dedicação de técnico, auxiliares e jogadores. Mas os números também são impiedosos. Aqueles fiascos acumulados até a chegada da dupla Jorginho/Zinho continuam a pesar, e muito, desfavoravelmente.

Por isso, a necessidade, sempre, de ganhar, ganhar e ganhar, independentemente da qualidade do adversário. Sem a certeza de que, mesmo com várias vitórias, o descenso seja evitado. Agora, a pressão cresce, assim como a angústia, e a perspectiva não é muito animadora.

O Vasco, 34, sai para enfrentar o Joinville, lanterna com 31 pontos e virtualmente rebaixado. Pode ganhar e subir para 37. Depois, recebe o Santos e encerra participação diante do Coritiba, fora de casa. O time paranaense também luta para permanecer na elite.

A situação dos outros ameaçados é a seguinte:

Figueirense (39 pontos) joga Chapecoense (C ), São Paulo (F), Fluminense (C ).

Avaí (38 pontos) tem: Flu (F), Ponte (C ), Corinthians (F).

Coritiba (37) tem: Santos (C ), Palmeiras (F), Vasco (C ).

Goiás (34) tem: Atlético-MG (F), Chapecoense (F) e São Paulo (C ).

Joinville (31) tem: Vasco (C ), Cruzeiro (F) e Grêmio (C ).

O torcedor doVasco terá de rezar…