E Argel saiu de alma lavada do Beira-Rio…

Antero Greco

15 de setembro de 2016 | 23h38

A bola foi empurrada para dentro do gol pelo zagueiro Kanu. Gol legítimo. Paulão, jogador do Inter, olhou para o bandeirinha e reclamou por reclamar. O  pernambucano Émerson Luiz Sobral nem ligou, o Vitória ganhou por 1 a 0, no Beira-Rio, e deixou os donos da casa na zona do rebaixamento.

Foi vingança do técnico Argel Fucks, que estreou no time baiano justamente contra a ex-equipe. Aliás, quando foi demitido do Inter, saiu com seis vitórias no Brasileiro. Era julho. Passados dois meses, o Inter só ganhou uma vez – aquele contra o Santos, em que houve polêmica danada pela expulsão de Lucas Lima, sob alegação de cera nos descontos do primeiro tempo.

Para os baianos, o resultado significou a possibilidade de nova era, agora que Argel chegou ao comando cheio de energia e promessas. Em campo, a presença de Zé Love também foi determinante para o bom desempenho do Vitória.

Já na etapa inicial, os baianos foram mais eficienes. Zé Love apareceu em lances de área pelo menos três vezes – numa delas finalizou para defesa de Danilo Fernandes. Em outra, fez bela jogada pela esquerda e tocou para Willian Farias, que chutou por cima.

O Inter tentava pressionar, mas não ameaçava o gol de Fernando Miguel. Logo no início do segundo tempo, em cruzamento para a área, Zé Love tocou de cabeça para a entrada de Kanu, que não perdeu a chance. Para Paulão restou erguer os braços, desolado.

Daí em diante, o Inter se lançou como pôde ao ataque, mais na vontade do que na técnica. Aylon encobriu o goleiro e o travessão, William bateu cruzado e Fernando Miguel pôs a escanteio. Alex entrou no lugar de Valdívia, e numa das melhores participações dele cabeceou e a bola saiu pela linha de fundo. Nico Lopez finalizou rente à trave.

Má fase… é má fase. Foi o 25.º jogo do Inter, a 12.ª derrota. Vai ver, Argel se sentiu vingado pela impaciência colorada do mês de julho, quando foi demitido e nem havia ameaça de rebaixamento.

Vibrou feito criança, abraçado a seus jogadores. Saiu do Beira-Rio de alma lavada.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.