E o Flamengo fica cada vez mais enrascado…

Antero Greco

22 de julho de 2012 | 19h15

Papai Joel Santana está encalacrado, Zinho está embasbacado, Patrícia Amorim está licenciada… e  o Flamengo está lascado! Cada rodada que passa no Brasileiro faz aumentar a sensação de que o transatlântico rubro-negro balança em ondas gigantes. Daqui a pouco, tomba e vai fazer muita gente afundar junto.

A mais recente chacoalhada veio com o 1 a 0 para o Cruzeiro, na tarde de hoje, em Belo Horizonte. Não foi um grande jogo, nem o time mineiro foi tão superior assim. Mas fez o suficiente para enrascar mais a vida do Flamengo. Garantiu a vitória com gol de Borges aos 45 minutos do primeiro tempo e aguentou os esboços de reação na fase final. Nada além disso.

Como desgraça pouca é bobagem, quando as coisas não vão bem, o Flamengo levou gol de um atacante que amargava secura de dois meses sem chegar às redes. Borges deixou o Santos já em jejum e foi tirar a barriga da miséria ao receber passe de Ceará, pouco antes do intervalo. Não se empanturrou, é verdade, mas foi decisivo para botar três pontos no bolso.

O Flamengo teve lampejos na etapa inicial, logo neutralizados por boa marcação do Cruzeiro. Vágner Love deu susto em Fábio aos 39 minutos, num chute que o goleiro defendeu. E o “artilheiro do amor” voltou a dar o ar da graça só aos 33 do segundo tempo, quando mandou uma bola no travessão e, no rebote, chutou para defesa parcial de Fábio. Ficou nisso.

Joel gesticulou muito, mostrou nervosismo, mexeu no time, mas sem resultar em nada significativo. O Flamengo foi o mesmo time desconjuntado que tomou de 3 a 0 do Corinthians. Com isso, cai algumas casas (agora está em 10º) e vê aumentar a pressão. O Cruzeiro se refaz, com mais uma vitória (no meio da semana bateu a Lusa), depois de três derrotas seguidas. Volta a ter ambição mais atrevida e fica menos distante do rival Atlético.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.