E se Liedson tivesse chegado antes ao Corinthians?

Antero Greco

26 de fevereiro de 2011 | 22h19

Imagino o torcedor do Corinthians a perguntar-se: “Puxa vida, o Liedson não poderia ter chegado antes?” Pois é, provavelmente o destino do time nos duelos com o Tolima teria sido outro, se o veterano centroavante largasse antes o Sporting. A esta altura, a história tomava outro curso, o clube estaria na briga na Libertadores, Ronaldo não se aposentava, nem Roberto Carlos saía correndo para jogar no futebol da Rússia. É muito “se”, que não resolve…

Liedson, porém, continua a resolver: em cinco jogos, o baiano de 33 anos marcou sete gols, dois deles nos 4 a 0 sobre o Grêmio Prudente, na noite deste sábado, no Pacaembu. Com ele em campo, os jogadores do meio-campo têm uma referência no ataque – e até Dentinho, Morais e Jorge Henrique ficam mais livres e com espaço para chegar na área adversária.

O artilheiro alvinegro – e na briga com Elano (por enquanto, na frente, com 8) – foi um dos destaques do jogo, ao fazer o segundo e o quarto gols. Por atrair marcação, por abrir espaços, para arriscar finalizações com frequência. O primeiro gol foi marcado por Fábio Santos, de pênalti, e o terceiro por Dentinho.

O Corinthians resolveu o jogo no primeiro tempo, com a vantagem de 3 a 0. Júlio César praticamente foi um torcedor a mais, em campo, porque mal pegou na bola. Na etapa final, a turma de Tite tirou o pé do acelerador, tocou a bola e esperou o tempo passar, num treino de luxo. Fez o quarto gol, como poderia ter feito muitos outros.

É isso: o Corinthians dorme na liderança (22 pontos, contra 20 do Palmeiras) e usa o torneio estadual para reerguer-se. E que aproveite a chance.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.