E o Flamengo desandou…

Antero Greco

18 de outubro de 2015 | 20h47

O Flamengo é um mistério da natureza. Empolgou meio mundo, com a sequência de vitórias de início de returno, e agora retornou ao marasmo. As seis vitórias em seguida, campanha de campeão, foram anuladas com cinco derrotas nas últimas seis rodadas. O tropeço mais recente foi o 1 a 0 para o Internacional, na tarde deste domingo, no Maracanã.

Perder para o Inter não seria fora de propósito, pois não se trata de adversário de segunda linha. Chato é ser derrotado jogando pouco, como aconteceu. De novo, o Fla negou fogo, e isso não se deve ao placar. Não é julgar pelos resultados, pelos números frios.

O problema do Flamengo continua a ser a instabilidade, individual e de sistema. Não questiono tampouco empenho dos jogadores – não vejo ninguém fazendo corpo mole ou bobagens do gênero. A questão está no fato de que o time não rende e volta a sentir pressão pela falta de eficiência.

O nervosismo ficou evidente contra o Inter. Até houve situações de gol, com Guerrero, Sheik e outros. Aliás, os dois ex-corintianos andam em baixa, e isso se reflete no desempenho geral. O problema se concentrou na hora do ajuste, do arremate, do requinte. O Flamengo largou em algum canto a serenidade que havia encontrado com a chegada de Oswaldo de Oliveira.

A impressão que passa é a de que acabou o fôlego, quebrou-se o encanto. Com 44 pontos, está no bolo, mas voltou a ocupar posição intermediária (10.º lugar). Pior do que isso, fez voltar aos torcedores a insegurança do primeiro turno.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.