Empate com a Ponte deixa Grêmio no lucro

Antero Greco

23 Agosto 2015 | 14h20

A grama seca, o calor excessivo deste estranho inverno, o cansaço. Vários os motivos alegados pelos jogadores do Grêmio para justificarem o desempenho insatisfatório no empate por 0 a 0 com a Ponte Preta, no final da manhã de domingo, em Campinas. O fato indesmentível, porém, é que o tricolor gaúcho esteve muito aquém das apresentações recentes. Mesmo assim, com o pontinho que leva para casa no momento o deixa na segunda colocação isolada: são 37 e agora resta secar o Corinthians (40) contra o Cruzeiro.

O Grêmio atrevido das últimas semanas não deu as caras no estádio da Macaca. Ao contrário, o que se viu foi uma equipe cautelosa demais, tímida, com pouca iniciativa e raros momentos de futebol vistoso. A Ponte é quem tratou de impor-se e, mesmo sem ser brilhante, incomodou Marcelo Grohe em diversas ocasiões. Mesmo com a contusão de Borges, antes dos 10 minutos, apresentou-se ao ataque com frequência, embora sem muito perigo.

O meio-campo gremista não funcionou. Maicon sentiu e saiu, Fernandinho ficou no meio-termo entre marcar e atacar, Douglas se limitou a alguns lançamentos e às costumeiras cobranças e escanteio e faltas, Giuliano se esforçou, sem brilho. Com isso, o ataque se isolou e a defesa em algumas ocasiões ficou exposta. Por sorte, a Ponte não estava muito calibrada.

O Grêmio pode até considerar-se no lucro, com o empate, pois tomou duas bolas na trave. E só tem a lamentar a atrapalhada finalização de Brian Rodriguez, perto do final do jogo, na maior chance de gol da partida, para ambos os lados.

Ok, o cansaço, o gramado e etc e tal. Mas são esses tropeços que emperram a caminhada de quem pretende chegar ao título.