Engenhão, seis anos de idade e interditado. Vergonha

Antero Greco

26 de março de 2013 | 20h13

A interdição de Engenhão por tempo indeterminado é estarrecedora. A prefeitura do Rio resolveu fechar o estádio em que os clubes locais por enquanto mandam parte dos jogos por ter encontrado falhas na estrutura da cobertura. Com risco de desabamento, e consequentemente por colocar em perigo a integridade do público.

Muito bem que isso tenha sido feito. Mas, nas justificativas dadas para tal medida, se falou de passagem que talvez seja problema de projeto. Ué, se for assim, o risco existe desde o primeiro momento. Como pode isso?! Vendeu-se a arena, para ficar em termo moderninho, como uma maravilha e no entanto era uma geringonça?

Noves fora isso, tem outro aspecto a considerar. O Estádio Olímpico João Havelange tem só seis anos de uso! É praticamente novinho em folha. Ou assim deveria ser. No entanto, já tem desgaste característico de obras antigas, castigadas pelo tempo.

Que história é essa? Foram gastos oficialmente R$ 380 milhões nessa joia apresentada pelas autoridades e Comitê Olímpico Brasileiro para aquela competição. E já está na base do balança-mas-não-cai? Isso é tirar onda da cara do cidadão. E quem é o responsável por tudo isso? Vai ver que foram os peões que fizeram as lajes erradas…

A população, aliás, já estava com a pulga atrás da orelha desde que os gastos então subiam mais do que balão em época de são João. Alegavam-se mudanças nas planilhas e aperfeiçoamento nas obras. Dizia-se que o “legado do Pan” compensaria, que a população sentiria os benefícios de forma permanente. Mas não em suas cabeças…

Que benefícios? O Velódromo, por exemplo, foi desmontado. O Maria Lenk terá apenas provas periféricas da natação, o Maracanã ainda será mexido mais uma vez, fora outras coisinhas que consumirão alguns bilhões.

Epa, e agora, onde jogarão os grandes do Rio, que não têm casa, exceto o Vasco? Sei lá. Isso pouco importa. Importa que será linda a festa em 2016. Não há a menor dúvida.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.