Fla descansou para perder do São Paulo

Antero Greco

10 de maio de 2015 | 21h07

O Flamengo ficou uns dias em retiro físico, tático e espiritual em Atibaia, agradável cidade no interior de São Paulo. A alegação era a de aproveitar o tempo para preparar-se para boa estreia no Brasileiro. Time recomposto, refeito da frustração de ficar fora do título carioca etc e tal. Pronto para nova caminhada na elite nacional.

O discurso bacana caiu por terra com apresentação precária na derrota por 2 a 1 para o São Paulo, na tarde deste domingo, no Morumbi. Com a agravante de que foi dominado pelo rival paulista, que começou com apenas quatro titulares que estiveram no clássico com o Cruzeiro pela Libertadores. Para piorar, o Fla sumiu quando entraram Ganso e Pato.

Vanderlei Luxemburgo mandou a campo o que possui de melhor à disposição, na esperança de ter um time combativo. Na prática, porém, quase nada funcionou. Defesa, meio e ataque sumiram, com raros lances de perigo a incomodar Rogério Ceni. Nem mudanças surtiram efeito – Eduardo Silva, Mugni e Arthur Maia nos lugares de Canteros, Almir e Gabriel. O Fla não passou de sparring.

O São Paulo do interino permanente Milton Cruz não pressionou tanto, mas conteve o Flamengo sob controle. E melhorou com a entrada de Ganso e Pato, no segundo tempo. Ambos conduziram o time à vitória, com participação nos gols de Luís Fabiano e do próprio Pato. O gol de Everton serviu como consolo.

O tira-gosto do Brasileiro mostrou que há muito o que fazer no Flamengo para crescer e não se transformar de novo em coadjuvante do campeonato. O São Paulo, se não é brilhante, oscila menos do que na última fase com Muricy Ramalho. A prova de fogo, porém, virá na quarta-feira, no jogo de volta com o Cruzeiro, pela Libertadores. Desta vez, em BH.