Fla espanta o azar, ganha de virada e está de volta à briga

Antero Greco

24 de setembro de 2011 | 20h16

Não há bem que sempre dure nem há mal que nunca termine. Desta vez, a segunda parte do dito popular vingou para o Flamengo. Depois de dez rodadas sem vencer – cinco empates e cinco derrotas –, a equipe de Vanderlei Luxemburgo enfim ganhou, nos 2 a 1 de virada sobre o América-MG, na noite deste sábado, no Engenhão. No sufoco, na raça, com o coração na mão até o último instante. Mesmo assim, foi a 41 pontos e está no bloco principal.

O Flamengo entrou em campo pressionado, e sem Ronaldinho Gaúcho.  Luxemburgo preferiu Jael no ataque e deixou David no banco. O rubro-negro teve dificuldade com a marcação do América, que aos poucos se soltou e deu trabalho para o goleiro Felipe. Como o Coelho atuava como franco-atirador, não teve medo de ir à frente à medida que o tempo passava. O prêmio veio com  o pênalti que Kempes cobrou aos 29 minutos.

A desvantagem deixou o Fla descontrolado e a torcida passou a pressionar. Tanto que vaiou o time, na saída para o intervalo. Na volta, Luxemburgo havia feito três alterações: Diego Maurício no lugar de Maldonado, Thomas em substituição e Botinelli e David no posto de Jael. O time melhorou, acelerou o ritmo e o goleiro Neneca apareceu muito, com belas defesas.

O Fla também explorou descidas de Leo Moura pela direita. Numa das arrancadas, centrou a bola na medida para David empatar, aos 17 minutos. O Fla cresceu e, mais na base da raça do que na técnica, encurralou o América. Tanto fez que virou aos 44, com Diego Maurício iniciando jogada que Thiago Neves completou.

O Flamengo tirou, enfim, peso enorme, e pode preparar-se com calma para o clássico com o São Paulo, no próximo fim de semana. E, com o campeonato tão maluco, volta a ter chance de título. Desde que não fique mais dez rodadas sem vencer.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.