Flu bate o Fla e se esbalda na liderança

Antero Greco

30 de setembro de 2012 | 19h31

O campeonato não terminou. Sei disso, é constatação do óbvio. Mas exercício de bom senso indica que o Flu deixa escapar a taça apenas se vacilar na reta final. Depende de si para manter-se com relativa folga na liderança, com a vantagem de que enfrentará os rivais diretos na briga pelo título:­ Grêmio em casa no dia 18 e Atlético-MG, fora, no dia 21 deste mês.

O Flu deu outro grande passo para a conquista na vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo, na tarde deste domingo, no Engenhão. Não foi um jogo exuberante, nem o líder se mostrou impecável. Mas desequilibrou em seu favor o conjunto, a forma compacta como se comporta. Também pesaram mais uma atuação segura de Diego Cavalieri e o faro de matador de Fred. O goleiro pegou tudo, até pênalti, e o centroavante fez o gol.  Tá bom.

Aliás, ambos continuam a ser ignorados por Mano Menezes em suas incontáveis convocações. Chamam-se Deus e o mundo, mas esses rapazes permanecem fora. Cavalieri é dos mais regulares, talvez o melhor da posição, no Brasileiro atual. Fred, o artilheiro. Sei lá, talvez seja preferível o esquecimento. Assim, não desfalcam o time por causa de joguinhos mequetrefes que a seleção terá pela frente, como Iraque e Japão.

O Flu foi a 56 jogos e alto índice de aproveitamento. De forma indireta, foi beneficiado pelo grande rival duas vezes em menos de uma semana. Na quarta-feira, o Flamengo travou a trajetória do Atlético-MG e hoje caiu diante do primeiro colocado. Coincidências e ironias do esporte, nada além disso. Motivo só para gozações entre torcedores.

O Fla perdeu, após duas vitórias consecutivas, tem um ligeiro sinal amarelo aceso, por causa dos 34 pontos. Porém, mostrou que está mais ligado e tem mais ritmo do que algumas rodadas atrás. Há espaço para evoluir e sair do sufoco. Só não pode acumular tropeços – e o deste domingo entra na conta dos resultados normais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: