Flu e Coritiba empatam e empacam

Antero Greco

21 de setembro de 2013 | 20h56

Fluminense e Coritiba mostraram, na noite deste sábado, que tendem a ir a lugar nenhum. Os dois times patinam no Brasileiro, ficaram no empate por 1 a 1, num Maracanã que recebeu público de quase 35 mil pagantes. Estão separados, no momento, por um ponto – 31 para os paranaenses contra 30 dos tricolores. Ou seja, na zona do lusco-fusco.

O jogo mostrou por que não podem, pelo menos no momento, ter sonhos mirabolantes. As duas equipes pecaram por excesso de cautela – o Fluminense até arriscou mais, mas sem entusiasmar a plateia. O Coritiba contentou-se em voltar para casa com um ponto. Falta de apetite, que tende a deixá-los em situação apenas intermediária.

O Coxa ficou em vantagem no primeiro tempo, com Lincoln, e achou que estava ótimo e que seria possível sustentar o resultado até o fim do jogo. Por isso, se aquietou, ainda tomou o empate no início da fase final (Gum), continuou sem reagir e só foi incomodar Diego Cavalieri já nos descontos, com uma bola na trave e com Dudu, livre, a desperdiçar a rebatida.

O Fluminense pode considerar-se no lucro, ao completar seis jogos sem perder – três vitórias e três empates neste mês de setembro. Ou seja, conquistou 12 dos 18 pontos disputados. Bom, para quem estava muito perto da zona de rebaixamento. Pouco, se ainda deseja algo melhor até o encerramento da competição. Uma Libertadores, por exemplo.

O Coritiba oscila mais. Nas últimas rodadas colecionou duas derrotas, três empates e uma vitória. Isso representa 6 pontos ou 1/3 do que seria possível. Como empacou, o alviverde deixou o bloco principal, se mantém na luta por Libertadores, mas claramente perdeu espaço.

As próximas rodadas serão decisivas para provarem o que ainda esperam da Série A essas duas equipes que são muito comuns sem seus respectivos astros, Fred (Flu) e Alex (Coritiba). Caminhos abertos, tanto para o alto, para a estagnação e, pior, para aproximação do perigo…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: