Galo mantém viva disputa no Brasileiro

Antero Greco

14 de outubro de 2015 | 22h46

O Atlético-MG cumpre bem o papel de perseguidor do Corinthians na corrida pelo título. Não dá trégua ao líder e voltou a aproximar-se do topo, com os 2 a 1 sobre o Inter, na noite desta quarta-feira, em Belo Horizonte. Agora, com 59 pontos, está dois atrás do primeiro colocado.

O Galo aprendeu a lição e não vacila mais em casa, como ocorreu em outros momentos no Brasileiro. Para não ser surpreendido, fez o que se esperava dele: acuou o Inter no próprio campo. Foi assim desde os primeiros chutes na bola. A intenção era a de não deixar o rival gaúcho respirar, pensar, criar. E deu certo, com o gol de pênalti marcado por Lucas Pratto com 16 minutos.

A vantagem incentivou o Atlético a manter a toada, com o meio-campo avançando e com outras oportunidades a surgir. Thiago Ribeiro e Giovanni Augusto poderiam ter deixado a conta bem maior, se não errassem em finalizações. O importante, porém, era a postura do Galo.

Atitude corajosa, que não se abalou nem com o gol de Paulão antes do intervalo. Levir Culpi insistiu para a equipe ficar em cima, não dar espaço, ousar e arriscar. Tanto fez que garantiu outra vitória, dessa vez com gol de Marcos Rocha aos 24 minutos da etapa final.

O Inter voltou a ser instável, indeciso, como nos momentos menos brilhantes na competição. Foi ao Independência com a intenção de segurar o empate, objetivo pequeno para quem ainda sonha com uma vaga, agora bem improvável, na Libertadores.

A Série A sustenta emoção, na reta final, por causa da perseverança do Atlético, o único a fazer sombra ao Corinthians. E pronto para o salto, se Cássio e companhia bobearem. Vale a torcida.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.