Galo segue na trilha. Palmeiras é opaco

Antero Greco

23 de agosto de 2015 | 20h56

A primeira rodada do returno do Brasileiro só não foi totalmente favorável ao líder Corinthians porque o Atlético-MG fez a parte que se espera de quem briga pelo título. O Galo recebeu o Palmeiras, ganhou por 2 a 1, de virada, e se mantém como maior sombra para Tite e rapaziada. Com 39 pontos, está a 4 da ponta. Os palestrinos, com 31, veem a possibilidade de alcançar a taça só de binóculos.

O jogo no Horto teve roteiro conhecido por torcedores dos dois lados. O Palmeiras, com meio-campo todo esfacelado, surpreendeu com gol de Girotto aos 4 minutos, na primeira descida ao ataque. Em seguida, recuou, como tem ocorrido com repetição preocupante.

Com isso, deu o espaço que o Atlético desejava – e Lucas Pratto e companheiros foram à frente. Tanto insistiram que conseguiram a reação antes do intervalo, com gols do argentino artilheiro. O segundo deles, de pênalti marcado de Lucas ao deslocar Giovanni Augusto. (Pra mim, lance duvidoso. Pênalti, no duro, aquele ignorado em cima de Edcarlos; em Pratto, o argentino continuou a jogada…)

O Galo teve chance de fazer enorme estrago ainda no primeiro tempo, pois o Palmeiras ficou atordoado. Perdeu a chance e diminuiu o ritmo na segunda parte. Daí, se sentiu pressionado e Edcarlos salvou o time de levar o empate em casa ao tirar bolas em cima da linha.

As oscilações de ambos os lados tornaram o jogo agradável, na etapa final. Taí aspecto para Marcelo e Levir prestarem atenção. Tanto Palmeiras como Atlético-MG não conseguem manter regularidade e, em diversos momentos, abrem flanco para levar gols. Isso explica a perda de pontos importantes.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: