Grêmio faz sombra ao Corinthians

Antero Greco

10 de setembro de 2015 | 02h54

O empate por 1 a 1, no clássico disputado na noite desta quarta-feira, em Itaquera, mostrou que o Grêmio se consolida como ameaça ao Corinthians na corrida pelo título nacional. O tricolor gaúcho se firma de vez ao lado do Atlético-MG como postulante ao topo. A diferença entre o trio nem é das maiores: Corinthians 51, Atlético 48 e Grêmio 46.

A distância entre o primeiro e o terceiro colocados poderia ter caído para a metade – e foi por pouco. O Grêmio encarou o Corinthians como altivez e sem nenhum receio, de acordo com o figurino de quem não se propõe a ser coadjuvante na competição e sim protagonista.

Essa postura tornou o duelo interessante e deixou o placar aberto até o final. Na primeira parte da etapa inicial, houve equilíbrio, sem muito atrevimento de cada parte. Antes do intervalo, porém, o Grêmio cresceu e passou a dominar o meio-campo e teve chance de abrir vantagem com bola perdida por Marcelo Oliveira.

A toada se repetiu na retomada da partida, até que chegou ao gol de Bobô. O Grêmio encorpou mais, deu a impressão de que levaria à quarta derrota do Corinthians no Brasileiro. Daí entrou em ação a qualidade de um conjunto que mantém o padrão, mesmo com desfalques. A defesa gaúcha teve um dos raros momentos de incerteza e levou o gol de Renato Augusto.

O Corinthians ensaiou a virada, mandou bola na trave, após defesa de Tiago, mas também ofereceu espaço ao Grêmio contra-atacar. O empate, ao final, ficou de bom tamanho, ou melhor: esteve de acordo com o que ambos mostraram.

O importante do jogo: o Corinthians tem força e fôlego para manter-se à frente, mesmo que agora não ostente tanta folga em relação aos demais. O Grêmio não é fogo de palha e sustenta subida desde a chegada de Roger Machado.

Briga boa e sem definição.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.