Gringos deixam Inter perto das quartas

Antero Greco

22 de agosto de 2013 | 23h06

A trinca de estrangeiros formada por D’Alessandro, Scocco e Forlán foi decisiva para colocar o Inter com um pé e meio nas quartas de final da Copa do Brasil. Cada um marcou nos 3 a 0 sobre o Salgueiro, na noite desta quinta-feira, em Novo Hamburgo. O resultado permite a Dunga até poupar titulares para o jogo de volta na semana que vem.

Os gringos resolveram, mas só estiveram juntos no segundo tempo no duelo com os pernambucanos. Na etapa inicial, Dunga optou apenas por D’Alessandro e Forlán, numa formação menos ousada. E o Inter teve trabalho, por jogadas mal-armadas, por finalizações erradas, pela marcação do Salgueiro e pelo campo pesado (choveu muito).

O treinador gaúcho mudou a equipe para não correr o risco de ver a zebra soltar-se, como havia acontecido na véspera em Luverdense 1 x Corinthians 0. Vá lá que o Salgueiro praticamente não incomodou o goleiro Alisson, que substituiu o irmão dele, Muriel, que sentiu contusão e foi afastado em cima da hora. Mas, melhor era não dar espaço para o azar. Daí, a postura diferente, e melhor, do Inter na parte final.

E a mudança deu certo. Scocco entrou no lugar de Igor, que jogava mais na lateral direita. Para lá foi Jorge Henrique, que antes tinha ficado no meio-campo. Scocco alivou o trabalho de D’Alessandro, abriu espaço, tornou o ataque mais perigoso.

O resultado dessa mexida veio logo, com pênalti sofrido por Leandro Damião que D’Alessandro converteu. Mais tarde, Forlán cruzou na medida para Scocco fazer o segundo. E, pouco antes do encerramento, Scocco devolve a gentileza e Forlán marcou.

O Inter mostra que tem alternativas, há opções para Dunga armar time forte. Depende das escolhas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: