Inter reabre disputa ao bater o Corinthians

Antero Greco

17 de setembro de 2015 | 02h08

O campeonato parecia decidido em favor do Corinthians. Parecia, não parece mais. O líder ainda mantém vantagem sobre o segundo (54 pontos a 49 do Atlético-MG) e o terceiro (Grêmio, 48) colocados, mas a diferença já não é tão ampla quanto no final de semana. Quem fez o favor de reacender a briga pelo título foi o Internacional, com os 2 a 1, de virada, no clássico disputada na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio.

O Corinthians deu a impressão de que manteria a corrida irrefreável até a sexta taça. Tanto que ignorou a pressão do Colorado em boa parte do primeiro tempo e ainda deu uma esfriada na torcida local, ao abrir o placar com Malcom aos 18 minutos.

Pronto, se desenhava quadro manjado na competição. O Corinthians passaria a controlar o jogo. Errado. O Inter foi à frente, apertou, empatou com Réver aos 37 e manteve a toada no segundo tempo. Tanto que ficou à frente com o gol de Valdivia, aos 28 minutos, depois de jogada espetacular de Paulão pelo lado direito.

O Corinthians tentou a resposta, mas não deu dessa vez. Não bastou o talento de Elias, Jadson, Renato Augusto, muito menos o senso de oportunismo de Vágner Love. O quarteto tem sido decisivo, em resultados frequentes, mas não evitou o 18.º jogo sem derrotas.

Não foi nenhum desastre, evidentemente. As oscilações sempre vão ocorrer – e ainda houve a atenuante da goleada sofrida pelo Galo diante do Santos. Resta o alerta de que há muito campeonato pela frente e não se pode baixar a guarda um minuto sequer.

Para o Inter, a terceira vitória seguida (e os 40 pontos no total) mostrou que, apesar da demora, acordou para a competição e pode ter a pretensão de algo melhor do que o papel de coadjuvante. A chegada de Argel Fucks tem a ver com essa mudança de astral.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: