Impossível entender o São Paulo

Antero Greco

31 de outubro de 2015 | 22h34

O São Paulo ainda pode terminar o ano com um título. Sim, o título de o mais imprevisível dos times de 2015. Impressiona como vai do céu ao inferno de uma rodada para outra, ou de um jogo para o seguinte.

Duvida? Pois relembre. No meio da semana, perdeu para o Santos na Copa do Brasil, “só” de 3 a 1 porque o adversário tirou o pé. Havia levado os três gols em menos de 25 minutos. Pronto, caiu fora daquela competição. Neste sábado,recebeu o Sport, no Morumbi, e fez 3 a 0, com autoridade e bola na trave.

Uma oscilação alucinante – e tão mais incrível quando se vê que os gols foram marcados por jogadores contestados: Ganso, Luís Fabiano e Michel Bastos. O trio esteve bem, assim como Alexandre Pato, que participou dos gols. Na verdade, foi a melhor atuação tricolor no campeonato e que, de quebra, o colocou na quarta colocação, com 53 pontos. Ainda depende dos resultados deste domingo para permanecer no G-4.

Doriva e rapazes entraram pressionados para o duelo contra os pernambucanos, também de olho no G-4. O treinador não tem futuro garantido no São Paulo e imagina jogar a sorte nos seis jogos restantes. Neste primeiro foi feliz nas escolhas e contou com com atuação acima da média de praticamente todo mundo.

Os gols vieram com naturalidade, o Sport não foi nem sombra de apresentações recentes e se ressentiu demais da ausência de Diego Souza. A rigor não incomodou Denis, o substituto de Rogério Ceni. Ao estacionar nos 47 pontos, ficou mais complicada a realização do sonho de terminar o ano entre os melhores.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.