Jennings, repórter que abala a Fifa

Antero Greco

09 de dezembro de 2015 | 13h28

O figurino de camponês destoa dos engravatados da Fifa.

Mas foi ele, com seu jeito despojado, quem conseguiu infiltrar a desconfiança e a investigação no mundo dos negociantes do futebol. Andrew Jennings é um vencedor. Um jornalista de verdade: encarou Blatter, Havelange, Ricardo Teixeira e toda a cúpula do futebol internacional.

Seu novo documentário é um primor. As denúncias não acabam.

Enquanto por aqui estamos mais preocupados com as namoradas do presidente licenciado da CBF, Andrew Jennings vai fundo. Segue pistas, não se amedronta. Quem garante a sua independência, sua vida, a sua integridade física?

Talvez nem ele esteja preocupado com isso, porque pelo jeito que vive não se preocupa também com o tal do dinheiro, que compra, corrompe e espalha o temor.

Se fosse brasileiro, Jennings estaria trabalhando? Onde? Estaria vivo?

A propósito de cartolagem: onde está Marco Polo del Nero, ex-presidente da Federação Paulista de Futebol e presidente licenciado da CBF? O que tem feito? Tem dado expediente na entidade da qual se afastou?

Vamos ter de esperar visita do Jennings  para saber as respostas?

(Colaborou Roberto Salim.)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.