Juventus constrói estádio com 1/3 do valor do Itaquerão, Fonte Nova…

Antero Greco

06 de setembro de 2011 | 20h28

Construir estádio está na moda e é investimento que costuma dar retorno. A mais nova arena, como agora se chamam os campos de futebol, será inaugurada nesta quarta-feira, em Turim, uma das principais cidades da Itália. O dono do local é a Juventus, primeira equipe italiana a ter casa própria. As demais continuam a apresentar-se em instalações que pertencem às respectivas cidades.

O estádio juventino começou a ser construído em junho de 2009, sete meses depois de iniciada a demolição do antigo Delle Alpi. “Antigo” é modo de dizer, porque foi feito para a disputa do Mundial de 1990. A Juventus arrendou a área, obteve permissão para tocar seu projeto, encomendou estudo para escritórios famosos de arquitetura, arrumou a grana (dela mesmo) e mandou bala.

O resultado será visto no amistoso com o Notts County, da Terceira Divisão da Inglaterra, no amistoso marcado para a quinta-feira. O estádio tem lugar para 41mil torcedores sentados, além de 4 mil vagas de estacionamento, 8 restaurantes, 20 bares, museu, centro comercial e, em breve, a sede da própria Juventus. Há ainda uma área verde, como parte do acordo para revitalização do entorno.

Sabe quanto saiu tudo isso? Coisa de 105 milhões de euros, ou mais ou menos 250 milhões do nosso rico dinheirinho. Quer dizer, menos de um terço do que vai custar o Itaquerão, só para ficar num exemplo paulista. Ou da reforma do Maracanã. Ou da Fonte Nova, para falar também dos baianos.

Será que a mão de obra na Itália é mais barata do que a nossa? Será que lá tem menos impostos? Será que o preço do cimento e do aço sai mais em conta na Bota?

Vai saber. Como o custo de vida anda alto no Brasil! Você concorda?

PS. A ANSA, Agências de Notícias italiana divulgou cifras do estádio.  (ANSA) – TORINO – Investimenti per 105 milioni di euro per 41.000 posti a sedere

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.