Libertadores, o caminho para Neymar virar “gente grande”

Antero Greco

15 de fevereiro de 2011 | 12h12

O Santos começa hoje à noite, na Venezuela, mais uma tentativa para chegar ao terceiro título da Libertadores. Se isso acontecer, o vencedor das edições de 1962 e 1963, no auge da Era Pelé, vai juntar-se ao São Paulo, por enquanto o único time brasileiro com três conquistas continentais. Potencial o alvinegro tem, pela qualidade do elenco e pela evolução apresentada com o técnico Adilson Batista.

Mas o que pode pesar muito em favor do Santos é Neymar. O jovem que recentemente completou 19 anos já é a maior estrela da companhia. Ágil, atrevido, driblador, muito bom na finalização e começando a desenvolver cacoete de “garçom”, em pouco tempo virou a referência na equipe. Natural, portanto, que nele se concentre a esperança do torcedor, já a partir do duelo com o Deportivo Tachira (22h45, horário de Brasília).

Admiro o Neymar e o vejo com enorme potencial de ocupar, daqui a algum tempo, o trono de melhor jogador brasileiro, vago desde ontem com a aposentadoria de Ronaldo. Ele tem a seu favor a juventude, a explosão e um talento incomum. Vai depender apenas de si para ser o centro das atenções. Não creio em nova explosão de Robinho, como foi em início de carreira, e prefiro ficar à espera do que fará Ronaldinho Gaúcho.

Neymar deu provas, no Sul-Americano Sub-20, de que o amadurecimento está a caminho, mais depressa até do que se imagina. Na competição entre rapazes de sua idade foi o melhor, o artilheiro e um dos responsáveis (assim como Lucas) pelo título. Claro que em vários momentos prevalece seu lado abusado – e nem todo mundo gosta. Mas ele também revelou caráter ao assumir a responsabilidade na maioria das partidas. Além disso, portou-se com mais generosidade nos passes para os companheiros.

Neymar pode ajudar o Santos e vice-versa. Ele é bom, mas na equipe conta com qualidade e experiência – de Elano, por exemplo. Ou de Arouca, Leo, Zé Eduardo e sobretudo de Paulo Henrique Ganso, que está a ponto de voltar. Neymar tem tudo para sair gente grande da Libertadores deste ano. Aí, ninguém segura sua carreira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.