Marcos Assunção, a patada atômica do Palmeiras

Antero Greco

29 de setembro de 2010 | 21h56

 

Renan quis apenas Andrezinho na barreira, em cobrança de falta de Marcos Assunção, no jogo que o Inter fez com o Palmeiras, nesta quarta-feira à noite, na Arena Barueri. O goleiro considerou suficiente só um jogador para formar a paredinha, porque a bola estava muito longe da área. Depois do apito do Evandro Roman, ouviu só um silvo, um objeto ziguezagueando na sua frente e o chuá do choque com a rede. A filhote de Jabulani tinha morrido dentro do gol: 1 a 0, aos 31 minutos do primeiro tempo.

Falta para o Palmeiras outra vez, só que aos 13 da etapa final. Lá vai Marcos Assunção ajeitar a bola. Renan, que não é bobo e não quer passar vergonha, agora forma o paredão com quatro companheiros. Soa o apito, a danadinha vem toda enviezada e aquele silvo de cobra de novo no ouvido do goleiro. Zum, passou! E só para quando encontra a barreira dos fios de náilon. Bola na rede: 2 a 0 para o Palestra.

Marcos Assunção e Renan foram os personagens do clássico das 19h30 da 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O meia porque fez os gol da terceira vitória consecutiva de sua equipe. O goleiro por se deixar enganar duas vezes por um cobrador de falta que parece melhorar com o tempo. Ele já marcou meia-dúzia – por enquanto, o mais importante foi nos 3 a 0 diante do Vitória pela Sul-Americana –, fora as vezes em que obrigou os goleiros a defesas difíceis. Não é nenhum Rivellino, a “patada atômica” original, mas manda seus mísseis certeiros.

O Palmeiras venceu não só pelos gols de Marcos Assunção, mas por ter sido mais atento, mais firme e mais eficiente. O Inter veio a São Paulo animado com os 3 a 2 heróicos diante do Corinthians, no final de semana, porém desfalcado de Tinga e D’Alessandro. A ausência da dupla pesou. O Palmeiras ganhou a batalha no meio-campo, com sua tropa de marcadores (Tinga, Edinho, Márcio Araújo, Marcos Assunção) e com Valdivia enfim entrando no ritmo. O chileno melhora, e com ele o restante do time.

Com esse resultado, o Palmeiras vai a 38 pontos, assume posição mais digna, mas está muito distante de brigar por vaga na Libertadores. O Inter, com 41 (e um jogo a menos), vê diminuir a possibilidade de disputar o título deste ano.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.