Neymar cansado? Não parece

Antero Greco

19 de agosto de 2012 | 19h34

Havia preocupação a respeito do desempenho de Neymar, cansado com o longo tempo que ficou a serviço da seleção. No meio da semana, pouco mais de 24 horas depois do amistoso com a Suécia, ele foi decisivo para o Santos ganhar do Figueirense por 3 a 1. Neste domingo, voltou a desequilibrar, nos 3 a 2 movimentados do clássico com o Corinthians.

O jogo na Vila foi muito bom, sinal de que os times agora começam a se ligar de fato no Brasileiro (algo que Atlético-MG, Flu e Vasco fazem há mais tempo). Marcação no meio-campo, velocidade em contragolpes caracterizaram a postura dos alvinegros, que se reencontravam dois meses depois da semifinal da Taça Libertadores.

Um pouco melhor o Corinthians, que teve duas jogadas de perigo com Romarinho, até ficar em vantagem com gol de cabeça de Danilo, em cobrança de falta de Douglas. A resposta do Santos veio antes do intervalo, e com jogada construída por Neymar, que arrancou pela direita, abriu a defesa adversária e deixou para André apenas o trabalho de empurrar para o gol.

Neymar começou a jogada da virada, no início da etapa final, em cobrança de falta. Na sequência, houve três impedimentos, solenemente ignorados pela arbitragem, até André encostar na bola e fazer 2 a 1. O jogo pegou fogo com aquele lance – e André esteve perto de definir o placar, ao desviar de cabeça cruzamento da esquerda feito por Neymar.

O Corinthians incomodou menos Rafael, mas ainda assim chegou ao empate com o argentino Martinez, aos 35 minutos, numa boa conclusão do bico esquerdo da grande área. O que poderia representar o placar final caiu por terra aos 38: Neymar bateu escanteio e a bola foi parar na cabeça de Bruno Rodrigo, para fechar a conta.

Neymar desequilibrou, para sorte dos santistas e para quem gosta de bom futebol. Mas, claro, sempre haverá quem o considere apenas firulento. Azar, pois perde chance de curtir momentos interessantes e faz aumentar a dor de cotovelo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.