O Palmeiras despertou

Antero Greco

22 de janeiro de 2015 | 18h47

O palmeirense anda rindo à toa – pelo menos antes de a bola rolar pra valer. O clube contratou um monte de gente, neste início de ano, está com casa nova e agora fechou patrocínio principal na camisa com a Crefisa. Por dois anos, ganhará no total R$ 46 milhões (quantia não oficial). O acerto foi anunciado nesta quinta-feira pelo presidente Paulo Nobre.

A satisfação alviverde tornou-se maior porque carregada de simbolismo. Foi a segunda “vitória” sobre o São Paulo, rival que também chegou a negociar com a mesma empresa. Além disso, houve anteriormente a contratação de Dudu, então na mira tricolor. Fora de campo, 2 a 0 para o Palmeiras.

Até aí, tudo bem. A gozação conta, a autoestima também ajuda. Tanto que cresce muito a procura por planos para ser sócio torcedor no Palmeiras. Com isso, se garante fonte alternativa e fiel de renda. Para completar o planejamento, os dirigentes buscam patrocínios menores e pontuais.

Se a agitação nos negócios pelos lados da Turiaçu desembocará em títulos, não se sabe. Prematuro qualquer tipo de avaliação definitiva. A temporada não largou, o Paulista mesmo terá peso relativo e servirá para testes. O Palmeiras de verdade (assim como outras equipes) surgirá com a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Duvido que todos os 16, 17 reforços vinguem.

Mas é inegável que a expectativa positiva ajuda. Havia muito o palmeirense se sentia por baixo, com motivos de sobra: elencos péssimos, rebaixamento, risco de descenso. Enfim, vexame atrás de vexame. Agora, ao menos, há alegrias nos bastidores. Resta esperar que entrem em campo.