O Palmeiras sobra cada vez mais na Série B

Antero Greco

18 de setembro de 2013 | 00h55

Dentro de mais algumas rodadas, provavelmente muito antes do fim da temporada, o Palmeiras terá consolidado o retorno à elite. O time sobra na Série B, dispara na ponta (52 pontos), e vê de binóculos o quinto colocado, hoje o Sport (37). Está fácil demais a volta, como se viu após os 4 a 2 sobre o Avaí, na noite desta terça-feira, em Florianópolis.

Houve sustos para chegar ao resultado. Duas vezes o Palestra ficou em desvantagem, no 1 a 0 (gol de Márcio Diogo no primeiro tempo) e nos 2 a 1(gol de Luciano, aos 22 do segundo). Mas a turma de Gilson Kleina soube empatar (1 a 1 com Valdivia, antes do intervalo) e sobretudo teve embalo para virar e enfileirar gols com Mendieta (aos 25), Vinicius (36) e Eguren (43).

A diferença do Palmeiras para os demais concorrentes é muito grande. A exceção é a Chapecoense, vice-líder com 46 pontos e que ainda tem de jogar com o Figueirense. De resto, não é ameaçado nem pelo Paraná (42) nem pelo Joinville (41). Nesse aspecto, o projeto da diretoria paulista está muito próximo de tornar-se realidade: ressurgir sem sofrimento.

Kleina precisa aproveitar o restante da competição para ajustar a sintonia fina do time. Há espaço para alterações – uma delas é encontrar lugar para Eguren. O uruguaio entrou aos 40 minutos do segundo tempo, em substituição a Valdivia, e marcou nos primeiros toques que deu na bola. É jogador para aproveitamento melhor e com mais assiduidade.

Retoques precisam ser feitos na defesa – as laterais ainda são postos vulneráveis, assim como no meio-campo. A questão é saber se Kleina fará as mudanças e será preterido na hora de saborear as transformações. Ainda mais se forem confirmados boatos de que Luxemburgo voltaria em 2014. O presidente Paulo Nobre desmente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: