O velho e irritante Palmeiras de volta?!

Antero Greco

12 Agosto 2015 | 22h32

Amigo torcedor, lembra daquele Palmeiras que lhe tirava o sono, entregava a rapadura no melhor momento e, no fim das contas, ficava a chupar dedo? Pois ele ensaia voltar. Ao menos nas últimas três rodadas do Brasileiro o time envolvente e vencedor deu lugar para a equipe intranquila, que comete erros miseráveis e perde para quem está no alto, no meio e na base da tabela.

Essa versão velha e decepcionante do Palestra deu o ar da graça na noite desta quarta-feira, em Curitiba. Com um primeiro tempo medonho e uma segunda fase pouco acima do medíocre, caiu diante por 2 a 1 diante do Coritiba, que começou a jornada a segurar a lanterna e que havia oito rodadas não ganhava.

Com o resultado ruim, que se enfileira às derrotas para Atlético-PR (1 a 0) e Cruzeiro (2 a 1), a turma de Marcelo Oliveira marca passo, perde fôlego e desce alguns degraus na classificação. Ok, nada é irreversível; mas o decréscimo de desempenho é de preocupar.

A primeira parte no Couto Pereira viu o Palmeiras passar em branco. Depois de início razoável, logo se desnorteou, entregou o meio-campo para o Coxa e tomou o castigo com o gol de Henrique, herói da noite. Ninguém se acertou no meio, nem na defesa, bem vulnerável ultimamente. O Coritiba, ao contrário, marcou forte e até ensaiou ir à frente, já que esperava um rival agressivo que negou fogo.

No segundo, houve ligeira melhora do Palmeiras, que adoçou a boca da torcida com o gol de empate, com Rafael Marques, logo com minutos. Ilusão que durou pouco, pois tudo voltou a desandar. No final, novo castigo, com um lindo gol de Henrique a aproveitar a lentidão na marcação em linha da defesa do Palmeiras.

Não diria que terminou o encanto; seria descabido e prematuro. Mas que dá calafrios quando o velho Palestra bota a cabeça pra fora, isso dá. O torcedor que o diga.