Os fados carregam a Lusa pra baixo… e o Flu sobe

Antero Greco

15 de setembro de 2013 | 00h56

Não estou aqui pra secar ninguém – nem quero, nem tenho capacidade para tanto. Mas na noite deste sábado bateu a sensação pra lá de forte de que a Lusa é candidata ao rebaixamento. Os 2 a 1 para o Fluminense, de virada, no Maracanã, foram um golpe duro para os rubro-verdes, que ainda reclamaram (e pra mim com razão) de pênalti ignorado. O tricolor, em compensação, deu uma respirada e começa a fugir da zona escorregadia.

A Lusa foi ousada, como tem sido há muitas rodadas. É time sem estrelas, mas que parte pra cima, encara o adversário, como havia feito na semana passada diante do Grêmio. Pressiona, mesmo se às vezes dá espaço para levar contra-ataques, não se intimida.

Não foi diferente contra o Flu, num jogo em que poderia até superar o rival no número de pontos ganhos. Duelo da turma assombrada pelo descenso. E soube aproveitar vacilos, falhas de marcação e alguns lances estabanados de Edinho. Dessa forma, chegou à vantagem, com Diogo, aos 33 minutos, após cobrança de falta.

O Flu sentiu o baque e teve o mérito de parar para respirar. Voltou para o segundo tempo com mais velocidade e virou com pênalti cobrado por Sóbis aos 15 minutos (uma bobagem de Moisés Moura) e com Wagner aos 26. Para alívio geral. No final, ainda teve jogada polêmica, em que Bergson foi deslocado por Edinho ao tentar cabeceio na área.

A Lusa tem 22 pontos, 1 a mais do que o São Paulo, 7 da Ponte e 13 na frente do Náutico. No momento, está dois atrás de Vasco, Criciúma, Vitória, Bahia. Terá de torcer por alguns tropeços na continuação da rodada neste domingo. A esperança fica para o bom futebol. O desalento vai para os erros de que tem sido vítima.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: