Palmeiras apimenta o Brasileiro

Antero Greco

28 de agosto de 2011 | 19h45

O Palmeiras é cheio de contradições, imprevisível e surpreendente. Nas últimas cinco rodadas, empatou quatro vezes e perdeu uma. Além disso, tinha sido eliminado na Sul-Americana no meio da semana. Daí enfrenta o líder Corinthians, leva um gol, mas consegue reagir, vira, vence por2 a1 e tem uma atuação primorosa. De quebra, mantém aberta a corrida pelo título brasileiro de 2011.

O dérbi paulista disputadoem Presidente Prudentefoi quente – e não só por causa da temperatura. A partida foi boa, longe de mostrar-se monótona. Tite havia prometido Corinthians veloz como aquele das brilhantes dez rodadas iniciais. Para tanto, colocou Emerson no lugar de Alex. O Palmeiras tomou precauções e reforçou a marcação, com Márcio Araújo na direita, Chico, Marcos Assunção e Patrick no meio.

A estratégia corintiana funcionou no gol de Emerson – gol um tanto esquisito, pois ele tentou cruzar e ninguém de verde apareceu para fazer o desvio. O Palmeiras respondeu com duas boas conclusões de Kleber. Mas perdia o meio-campo. Daí Felipão, ao ver o jogo por cima (suspenso, estava numa tribuna), mandou Murtosa colocar Fernandão no lugar de Patrik. O grandalhão estreante pegou pouco na bola, mas segurou os zagueiros.

O equilíbrio no jogo levou ao empate, com Luan, um dos melhores, senão o destaque do jogo. Ele correu, combateu na defesa, no meio-campo, armou e ainda apareceu na área, em cobrança de escanteio, para fazer1 a1. Avirada veio com Fernandão, no início da etapa final, num lançamento de Marcos Assunção: o centroavante com cara e jeito do italiano Vieri matou no peito e tocou na saída de Júlio César.

Prevaleceu, dali pra frente, a postura impecável da marcação palmeirense. As duplas de zagueiros (Henrique e Thiago Heleno) e de laterais (Márcio Araújo e Gabriel Silva), mais Chico, anularam o meio-campo e o ataque corintianos. Emerson, Liedson, Jorge Henrique (depois Morais), Danilo (Willian) sumiram. Os laterais Wallace e Ramon pouco foram vistos na frente. Paulinho em nenhum momento apareceu como ‘surpresa’.

Uma tarde para o Palmeiras comemorar. O Corinthians ainda ficou com o título de “campeão de inverno”, mas vê de longe aquele time ajustado do início da competição. Tem bons momentos, porém já não parece mais com pique para disparar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.