Palmeiras vira pedra no sapato do Coritiba

Antero Greco

19 de julho de 2012 | 23h44

O Palmeiras não sai da parte de baixo na classificação do Campeonato Brasileiro. Mas virou um tormento para o Coritiba. O time paranaense não consegue bater o rival paulista, ao contrário do que aconteceu no ano passado.  Primeiro, foi na Copa do Brasil, com o título conquistado uma semana atrás, no Couto Pereira. E agora vem com o empate desta quinta-feira, no mesmo local.  O 1 a 1, mesmo placar do duelo anterior,  que deixa o Coxa com 8 pontos e o Palmeiras com 7.

O Palmeiras dizimado por contusões e suspensões deu um susto daqueles no dono da casa, com o gol de Patrik aos 5 minutos, na primeira jogada de ataque. E, na prática, uma das poucas que criou na partida toda. Como estava desfalcado em todos os setores a turma de Felipão preferiu defender-se, tocar a bola e esperar por contragolpes. Que rarearam.

O Coritiba é quem ficou com responsabilidade de sair da situação incômoda e, praticamente com força máxima, pressionou como pôde. Criou, mas lhe faltou calma, consequência dos maus resultados que se acumulam. E, quando esteve perto do gol, esbarrou em Bruno, que fez defesas importantes. Mais uma vez, como havia ocorrido também na Copa do Brasil.

Martela daqui, martela dali, reclama com o árbitro acolá, e o Coritiba foi premiado.  Anderson Aquino, aos 22 do segundo tempo, fez o gol de empate. O Coxa ainda tentou a virada e, de novo, parou em Bruno. O Palmeiras também teve sua chance, em cobrança de falta de Felipe que Vanderlei defendeu. Obina reestreou no Palmeiras e provocou a expulsão de Pereira.

 Epa, o mesmo Pereira que havia recebido vermelho na semana passada, na final da Copa do Brasil. Anda nervoso o moço.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.