Roma perde outra. É difícil torcer para time secundário

Antero Greco

19 de abril de 2011 | 19h14

Comecei a gostar da Roma nos primeiros anos 1980, quando Paulo Roberto Falcão era o dono da bola e reinava por lá. Na época, eu era correspondente do jornal “Corriere dello Sport”. Como acompanhava os “giallorossi” por obrigação, acabei tomando simpatia pelo time. Não me considero um torcedor, pois sou fiel à tese de que equipe de futebol é que nem mãe, a gente só tem uma. Mas, vá lá, sigo de perto os romanistas.

Nestes 30 anos, deu pra perceber o que significa torcer para time mediano, em geral coadjuvante nas competições de que participa. Nesse período todo, vi a Roma ser campeã italiana duas vezes apenas (uma delas com Falcão) e ganhar um ou outro título da Copa Itália. Num momento excepcional, em 1984, chegou à final da Copa dos Campeões da Europa, porém conseguiu perder a taça em casa diante do Liverpool.

A sina de clube de segunda linha se manifestou nesta terça-feira, na primeira parte da semifinal da Copa Itália, com a derrota por 1 a 0 para a Internazionale, no Estádio Olímpico. Com o resultado, ficou a um passo da eliminação, o que significa fechar mais uma temporada sem nenhuma conquista. Ok, há o jogo de volta, em Milão, dentro de alguns dias, e a classificação pode vir com vitória por 2 a 1. Custo a acreditar nisso.

A Roma mostrou mais uma vez que está em queda livre, do ponto de vista físico e no aspecto técnico. No sábado, havia sido surpreendida pelo Palermo (2 a 3) também em casa, porque lhe faltaram pernas. O mesmo ocorreu diante da Inter. No segundo tempo, sobretudo, não teve forças para reagir. Não teve moral, nervos e fôlego. Ficou entregue.

A Inter garantiu a vantagem em cima da hora, na fase inicial, com um golaço de Stankovic – uma bola no ângulo direito do gol de Doni, em chute da entrada da área. No segundo tempo, soube domar o desespero dos anfitriões. A vitória alivia um pouco o ambiente pesado dos pentacampeões italianos, por causa de quatro derrotas nas cinco partidas anteriores a esta.

A Copa Itália é o que resta para a Inter, numa temporada atribulada. Por isso, se mostra disposta a não falhar mais uma vez, como já ocorreu no Campeonato e na Copa dos Campeões. Daí também a festa enorme que jogadores fizeram com Leonardo, técnico que tem a cabeça a prêmio, com apenas quatro meses de casa.

Enquanto isso, o tifoso da Roma segue sua sina de achar que um dia terá um time grande, vencedor e colecionador de troféus, como Inter, Milan e Juventus. Acho que pode esperar sentado.

Tudo o que sabemos sobre:

Copa ItáliaInternazionaleRoma

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.