Romarinho, abusado, comanda virada do Corinthians

Antero Greco

12 de agosto de 2012 | 19h26

Não sou fanático por classificar jogador como “talismã”, “xodó”, “pé-quente” e coisas assim. Acho engraçado, nada além disso. Mas esse Romarinho tem feito algumas coisas no Corinthians que o fazem cair no gosto da torcida.

Na estreia no time, derrubou o Palmeiras com dois gols pelo Campeonato Brasileiro. Em seguida, fez um gol importantíssimo na primeira partida da final da Libertadores. Deixou a turma do Boca embasbacada. Neste domingo, voltou a dar o ar da graça com o gol de letra, aos 44 minutos do segundo tempo, que garantiu os 2 a 1 sobre o Coritiba, fora de casa.

Romarinho fechou em grande estilo uma apresentação apenas razoável do campeão da América. O Corinthians mais uma vez se enroscou em seus erros, pecou em finalizações e compensou com esforço. E só melhorou depois que Tite mexeu na escalação.

No primeiro tempo, por exemplo, o Coritiba foi melhor, teve postura mais firme e fechou em vantagem, com o gol de Everton Ribeiro pouco antes do intervalo. O Corinthians voltou da pausa modificado, com Guerrero no lugar de Douglas, que passeou em campo.

Mas a postura mudou, mesmo, com Martinez em substituição a Fábio Santos aos 18 da etapa final. O Corinthians se soltou, empatou com Paulinho, cresceu. Ainda levou susto com bola de Ayrton na trave, mas voltou para casa com três pontos por causa do atrevimento de Romarinho.

Com 21 pontos, o Corinthians passeia por zona confortável, embora distante da briga pelo título. O Coritiba, com 15 e três derrotas seguidas, continua a rondar o bloco do rebaixamento. Não se recuperou ainda do baque pela perda do título na final da Copa do Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.